segunda-feira, 29 de maio de 2017

POR QUE ESTUDAR LITUANO?

Tenho estudado lituano há quase 1 ano e 8 meses e tive até o presente momento, quase 300 horas de aulas particulares desse idioma, isso sem contar o tempo que me dedico ao mesmo sem estar na presença de minha professora, tais como: ouvir música; ouvir rádio de notícias e assistir programas de televisão; ler notícias em blogs, jornais e em redes sociais; e etc. Esse esforço tem me encorajado bastante para poder continuar a me aprofundar nesse idioma e querer atingir níveis ainda mais avançados. Posso dizer que essa é a primeira vez que me dedico tanto a um novo idioma e a sensação é muito boa e satisfatória. Lituano é uma língua que posso considerar como sendo muito complexa e que dentre os idiomas que tive contato até o presente momento, é sem dúvida alguma a mais difícil. Já dediquei dois posts nesse blog a esse tema, como podem ver em: LITUANO - Uma Epopeia através de um idioma Misterioso e em LÍNGUA LITUANA. Acredito que ainda escreverei muito mais sobre isso, mas voltemos ao assunto dessa postagem. 

Muitas pessoas têm me perguntado o porque de eu estudar um idioma tão pouco conhecido. A resposta é simples, por quê não? Vivemos em um mundo que preza pela velocidade dos acontecimentos e da informação, mas as pessoas não se deram conta que essa busca desenfreada por resultados em períodos curtos de tempo só demonstra que essas mesmas pessoas deixaram de entender uma série de elementos que são fundamentais para o nosso desenvolvimento como seres humanos. Nos dias de hoje, vemos uma infinidade de propagandas que oferecem e até prometem a alguém aprender um idioma em 3 meses ou aprender a tocar um instrumento musical sem esforço. Mas o que realmente as pessoas que buscam esses efeitos quase mágicos e milagrosos não entenderam? A reposta para essa indagação também é simples, elas não entenderam como elas aprendem algo e como elas realmente precisam se dedicar para se tornarem boas em algo.

Vivemos sob a égide do isso é ÚTIL. A procura descontrolada para saber e entender aquilo que é "útil" faz com que as pessoas se restrinjam a saber apenas o necessário para conseguirem resultados melhores em seus trabalhos e quem sabe, ganhar mais e mais dinheiro. Mas durante esse processo, elas não perceberam que ao conhecer e entender algo com mais profundidade ou algo que as diferencia da maioria, faz com que elas possam desfrutar de possibilidades profissionais que apenas poucos entre nós conseguem. Qual é o segredo para desvendarmos isso? Não podemos nos permitir ser apenas aquilo que a sociedade deseja que sejamos e sim, conseguir nos libertar de nossas zonas de conforto e bolhas pessoais que consideramos como a coisa mais segura do mundo. Não podemos ser ingênuos em pensar que segurança realmente existe, ainda mais em um mundo que vive dentro de um regime capitalista. Eu digo tudo isso para enfatizar a importância que se dá ao definir o que é útil e o que não é. Isso é baseado em que?

No Brasil, as pessoas buscam alternativas para conseguirem aprender inglês e essa busca faz com que elas se sintam realizadas pessoalmente por falarem a língua dita universal. Mas essas mesmas pessoas em minha opinião, se limitam a saber apenas inglês, pois com esse idioma elas podem trabalhar e viajar. Para mim, não existe língua mais ou menos importante. O que existe são línguas e culturas novas às quais eu tenho a necessidade de conhecer. As pessoas procuram aprender um idioma, mas se esquecem de querer saber como aquele determinado povo pensa ou age, qual é a sua história e costumes, quais são as suas crenças e anseios. Toda língua carrega uma carga emocional e racional. Ao estudarmos um novo idioma, passamos não só a nos comunicar com outros povos quanto a nos expressar, sentir, pensar e a sonhar nos mesmos. Eu não quero me limitar a aprender apenas um idioma, mas sim, vários. Espero saber pelo menos 10 muito bem, ou quem sabe 20 ou 30. Lituano é conhecida como a língua indo-europeia viva mais antiga do mundo. Imaginem só a carga emocional e racional dessa língua. O esforço que tenho feito para poder me comunicar nesse idioma tem me mostrado resultados surpreendentes. Não digo isso apenas por satisfação pessoal, mas pelas possibilidades que um idioma pouco estudado como esse pode me oferecer.

Muitas pessoas aprendem um idioma por causa de sua utilidade, eu os aprendo e os aplico de alguma forma na minha vida pessoal e depois, profissional. Trabalho como professor de idiomas e como tradutor. A cada dia que passa, tenho visto pessoas me oferecerem propostas interessantes pelo simples fato de eu falar mais de 2 idiomas estrangeiros, independentemente de quais idiomas sejam. Em julho, eu vou para a Lituânia e ficarei lá por quase dois meses. Durante 2 semanas, eu trabalharei como professor de idiomas para crianças e adolescentes lituanos. Essa experiência, sem dúvida me ensinará muito. Farei também um curso de 2 semanas de língua lituana, para me aprofundar ainda mais. Eu sinto que pelo fato de ter aprendido em tão pouco tempo a falar um idioma complexo como este, me ajuda a entender ainda mais rápido, outros idiomas que eu venha a estudar. As pessoas não entendem que se elas aprendem mais idiomas, mais rápidas elas serão em aprender outros tantos. 

Muitos são os benefícios de se aprender uma língua estrangeira, basta saber quais benefícios imediatos cada um de nós pode detectar e com o passar do tempo, vislumbrar novas possibilidades. Para concluir, não sei se será possível, mas a própria cônsul da Lituânia em São Paulo me disse que quando tiver algum trabalho de tradução nesse idioma, ela me passará. 

quinta-feira, 4 de maio de 2017

NIEKAS

Niekas nevaldo nė vienos kalbos.
Niekas nevaldo nė vienos tradicijos.
Niekas nevaldo nė vieno šokio.
Niekas nevaldo nė vieno tikėjimo.
Niekas nevaldo nė vienos muzikos.
Niekas nevaldo nė vienos tautos.
Niekas nevaldo nė vienos sienos.
Niekas nevaldo nė vieno žodžio.
Niekas nevaldo nė vienos legendos.
Niekas nevaldo nė vienos religijos.
Niekas nevaldo nė vieno dievo.
Niekas nevaldo nieko.

Niekas buvo vardas, kurį Odisėjas davė sau, kai planavo Polifemo, ciklopo mirtį.

Begaliniame interneto vandenyne, kiekvienoje saloje gyvena Polifemas ir laukia savo Nieko.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

LITHUANIAN MYTHOLOGY

As I recall, one of the first interests I have had in my life, it was the study and the reading agout myths of humanity. In childhood, being influenced by the work of Monteiro Lobato, who was a Brazilian writer, and the stories of gods, demigods and heroes of Ancient Greece. When I was 14, I started to learn Classical Greek, due to the fact of wanting to know about the language of that people that had created so many fascinating stories. In the same year, I started to read about the mythology of Germanic peoples or as it is more popularly known, as Norse mythology. Much of this thanks to comic book reading and to the fact of listening and enjoying the musical work of Richard Wagner, who would become my favorite composer and so he is to this day. Later, I read some works which helped me to know more deeply these myths, such as: the Prose Edda, by Snorri Sturluson and the Song of the Nibelungs. Few people know, but at age 19 I lectured on Norse mythology. Years have passed and I have read a lot about mythologies of the world, which in my opinion has helped to broaden not only my knowledge, but how it helped me to understand more clearly how some people on Earth think. I say this, because if we know the myths of a people, we can understand more deeply as they think, beacuse the myths reflect the acts and behaviors of a place. Over the years, I have read such important works as Homer's Odyssey, Beowulf, Epic of Gilgamesh, and Popol Vuh. The latter being my favorite.

Many people know about Greek, Egyptian and Germanic mythologies, but if I ask you what you know about Lithuanian mythology or rather, if you have heard of a Lithuanian mythology, possibly the answer will be "NO". Lithuania was the last European country to be converted to Christianity and still retains characterisctics and celebrations of the times that was still "heathen". With a very close relation to nature, Lithuanian mythology presents no only names of deities but a tangle of creatures and magical spirits. I will introduce some names of deities and some of their main features. From what I have seen so far, they have a scope of at least 60 names of deities and nature spirits. Below is a basic list:

Male Deities:

Praamžius - the high one, he determines the fate of the people, the world and other gods.
Ukapirmas - previous time, his feast is celebrated on December 25th.
Viršaitis - protector of homes and domestic animals.
Perkunas - god of thunder.
Kovas - god of war.
Ragutis - god of beer, vodka and mead.
Santvaras - god of daylight, of poets and doctors.
Atrimpas - god of sea and water.
Gardantis - god of the wind, storm and protector of the ships.
Poklius - god of death and the underworld.
Krukis - god of smiths.
Žiemininkas - god of the land, the harvest and the darkness.
Patelas - winged god of air.
Šneibratas - god of birds and hunting.
Kibirai - a trinity.

Female Deities:

Praurimė - goddess of sacred fire.
Lada - the great goddess.
Budtė - goddess of wisdom.
Laima - goddess of destiny.
Pelenų Gabija - goddess of the fireplaces.
Moterų Gabija - goddess of bread and bakeries.
Perkūnaitėlė - wife of Perkūnas.
Pilvytė - goddess of money, wealth and luck.
Lietuva - goddess of freedom, pleasure and joy.
Veliuona - goddess of eternity and after life.
Pergrubė - goddess of spring, flowers and gardens.
Milda - goddess of love and courtship.
Krūminė - goddess of grain and agriculture.
Nijolė - mistress of the underworld. Wife of Poklius.
Alabatis - goddess of flax.
Aušra - morning goddess.
Bezelea - evening goddess.
Brėkšta - goddess of darkness and dreams.
Kruonis - goddess of time.
Užsparinė - goddess of borders.
Verpėja - weaver of the thread of life.
Gondu - goddess of marriage.
Upinė - goddess of rivers and springs.
Ratainyčia - protective goddess of horses.
Valginė - protective goddess of domestic animals.
Luobo gelda - goddess of knowledge and rumors.
Mėšlų boba - goddess of garbage.
Budintoja - spirit that awakens people who are sleeping.
Austėja - goddess of bees.
Ragutiene Pati - wife of Ragutis.
Žemės Motina - goddess of the underworld, responsible for lost items.
Gaila - spirit that tortures people and animals.
Neris - river nymph.
Ragana - goddess of trees..
Lazdona - goddess of hazelnut.
Medziojna - goddess of forests.

Names of deities extracted from
https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Lithuanian_mythological_figures

I hope this list of deities can help you get an overview of what Lithuanian mythology is all about. In the future, I will come back to this subject more deeply.

domingo, 23 de abril de 2017

MITOLOGIA LITUANA

Pelo que me recordo, um dos primeiros interesses que tive em minha vida, foi o estudo e a leitura dos mitos da humanidade. Ainda na infância, sendo influenciado pela obra de Monteiro Lobato e pelas histórias de deuses, semi-deuses e heróis gregos. Aos quatorze anos, comecei a aprender grego clássico, muito em parte, devido ao fato de querer saber sobre a língua daquele povo que havia criado tantas histórias fascinantes. No mesmo ano, comecei a ler sobre a mitologia dos povos germânicos ou como é mais popularmente conhecida, como mitologia nórdica. Muito disso graças a leitura de revistas em quadrinhos e ao fato de começar ainda aos 14, a escutar e apreciar a obra musical de Richard Wagner, que se tornaria o meu compositor favorito e assim o é até hoje. Depois, li algumas obras que me ajudaram a conhecer mais profundamente esses mitos, tais como: o Edda em prosa de Snorri Sturluson e a Canção dos Nibelungos. Poucas pessoas sabem, mas aos 19 anos eu dei uma palestra sobre mitologia nórdica. Os anos passaram e li bastante sobre mitologias do mundo, o que em minha opinião ajudou a ampliar não só os meus conhecimentos, mas como me ajudou a entender mais claramente como alguns povos da Terra pensam. Digo isso, porque se conhecermos os mitos de um povo, podemos entender mais profundamente como eles pensam, pois os mitos refletem os atos e comportamentos de um lugar. Ao longo desses anos, eu li obras importantes como: A Odisseia de Homero, o Beowulf, a Epopeia de Gilgamesh e o Popol Vuh. Sendo esse último o meu preferido.


Muitas pessoas conhecem sobre mitologia grega, egípcia e germânica, mas se eu perguntar a você o que você conhece sobre mitologia lituana ou melhor, se você já ouviu falar de uma mitologia lituana, possivelmente a resposta será "NÃO". A Lituânia foi o último país europeu a ser convertido ao cristianismo e ainda mantém características e celebrações dos tempos que ainda era "pagã". Com uma relação muito estreita com a natureza, a mitologia lituana apresenta não apenas nomes de divindades como um emaranhado de criaturas e espíritos mágicos. Eu apresentarei alguns nomes de divindades e algumas de suas características principais. Pelo que vi até agora, eles possuem um escopo de pelo menos 60 nomes de divindades e espíritos da natureza. Abaixo colocarei uma lista básica:

Divindades Masculinas:


Praamžius - o altíssimo, ele determina o destino das pessoas, do mundo e de outros deuses.
Ukapirmas - tempo anterior, o seu banquete é celebrado no dia 25 de dezembro.
Viršaitis - protetor dos lares e dos animais domésticos.
Perkunas - deus do trovão.
Kovas - deus da guerra.
Ragutis - deus da cerveja, da vodka e do hidromel.
Santvaras - deus da luz do dia, dos poetas e médicos.
Atrimpas - deus do mar e das águas.
Gardantis - deus do vento, da tempestade e protetor das embarcações.
Poklius - deus da morte e do submundo.
Krukis - deus dos ferreiros.
Žiemininkas - deus da terra, da colheita e das trevas.
Patelas - deus alado do ar.
Šneibratas - deus dos pássaros e da caça.
Kibirai - uma trindade.

Divindades Femininas:

Praurimė - deusa do fogo sagrado.
Lada - a grande deusa.
Budtė - deusa da sabedoria.
Laima - deusa do destino.
Pelenų Gabija - deusa das lareiras.
Moterų Gabija - deusa do pão e das padarias.
Perkūnaitėlė - esposa de Perkūnas.
Pilvytė - deusa do dinheiro, da riqueza e da sorte.
Lietuva - deusa da liberdade, prazer e alegria.
Veliuona - deusa da eternidade e vida após a morte.
Pergrubė - deusa da primavera, das flores e dos jardins.
Milda - deusa do amor e do namoro.
Krūminė - deusa dos grãos e da agricultura.
Nijolė - senhora do submundo. esposa de Poklius.
Alabatis - deusa do linho.
Aušra - deusa da manhã.
Bezelea - deusa da noite.
Brėkšta - deusa da escuridão e dos sonhos.
Kruonis - deusa do tempo.
Užsparinė - deusa das fronteiras.
Verpėja - tecelã do fio da vida.
Gondu - deusa do matrimônio.
Upinė - deusa dos rios e das fontes.
Ratainyčia - deusa protetora dos cavalos.
Valginė - deusa protetora dos animais domésticos.
Luobo gelda - deusa do conhecimento e dos boatos.
Mėšlų boba - deusa do lixo.
Budintoja - espírito que desperta as pessoas que estão dormindo.
Austėja - deusa das abelhas.
Ragutiene Pati - esposa de Ragutis.
Žemės Motina - deusa do submundo, responsável por itens perdidos.
Gaila - espírito que tortura as pessoas e animais.
Neris - ninfa dos rios.
Ragana - deusa das árvores.
Lazdona - deusa do avelã.
Medziojna - deusa das florestas.

Nomes de divindades retirados e traduzidos da https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Lithuanian_mythological_figures

Espero que essa lista de divindades possa ajudar você a ter um panorama geral de como é a mitologia lituana. No futuro, voltarei a falar sobre esse assunto com mais profundidade.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

LITHUANIAN - An Epic throughout a Mysterious Language


I have been exhaustively learning Lithuanian for 1 year and 6 months. While it is little time to learn a foreign language, it seems I have done it all my life or part thereof. The feeling I have is as if I were Ulysses trying to return home, in Ithaca, after fighting in the Trojan War as reported poetically in Homer's Odyssey. My epic has begun on 5 October, 2015. This all started because I was doing Russian conversation classes with my teacher, who is actually born in Vilnius, the capital of Lithuania. After doing 36 Russian conversation classes with her, I realized that I was facing a unique opportunity, that would be, to be able to learn Lithuanian with a native speaker.

Many people have asked me or could ask me, but why Lithuanian? I have been studying foreign languages for a number of years and decided to focus on learning Indo-European languages. I have studied and had contact with languages of other families, such as: Mandarin, Sino-Tibetan family; Indonesian, Austronesian family; Yucatec Maya, Mayan family; Hebrew, Semitic family. But after a personal choice, I decided to focus entirely on Indo-European languages, so that I can learn at least 10 languages of this family. I have already knew that Lithuanian was a language quoted by several authors as being the oldest modern language of this family, and could be compared to Greek, Latin, Sanskrit and Hittite. With that, my curiosity was increasing even more and I thought that one day, at least 10 years from now, I could learn it. By the time I started learning Lithuanian, I was actually thinking of going back to German studies, but since I had a teacher in front of me and I did not know if I would have an opportunity like that again, I decided to go down that road and leave the German aside, at least at that moment, for now, I have just returned with my studies of German in a school.

As a sailor, among unknown waters, I began my endeavour to understand something so different from everything I had learned so far, in fact, some elements of this language resemble Russian, but even so, I was in a totally strange territory.

I felt alone on a float, moving through calm waters and facing marine storms that almost beat me. At times I could see land and think it was close to home, but it was hallucinations caused by lack of fresh water or by being exposed for days and more days in the intense heat of the sun. Days passed and I arrived on dry land, but just like Ulysses, I faced giants and frightening monsters. The only way was to return to the sea and try to travel once more.

Months and more months went by and I knew many islands and fabulous beings. I began to understand things I had never seen before and to savor the taste of exotic foods. The perfumes I breathed had aromas that ran from the West, past Persia and into India. Again and again I was intoxicated by drinking a strong and unequaled drink. I was cold, warm, hungry, thirsty, and I was attacked by sea monsters and struck by heavy rain. At times I did not feel my arms or legs. My strength almost deserted me, but I always thought of beloved Ithaca. Staying so long away from home was an incomparable misfortune to me.

Giant waves dragged me from side to side and it seemed that I had provoked the king of the seas in person. Over time, I got used to life at sea and learned to fish and store rainwater. When I arrived on a new island, I hunted and picked fruit up. Today I feel that with each passing day, that I am closer to home and that the sea no longer frightens me. I dream of home and dream that the sea has also become mine. My return to beloved Ithaca has not yet been possible, but being able to know and map this sea of information and feelings that is the Lithuanian language, full of mysteries and nuances, gave me the proof that the fact that I want to return home and see that In front of me I would have to cross a whole sea, it was already worth it.

terça-feira, 4 de abril de 2017

LITUANO - Uma Epopeia através de um Idioma Misterioso

Hoje eu completo exatos 1 ano e 6 meses como aprendiz de lituano. Ao mesmo tempo que é pouco tempo para aprender uma língua estrangeira, parece que eu tenho feito isso a minha vida toda ou parte dela. A sensação que eu tenho é como se eu fosse Ulisses tentando voltar para casa, em Ítaca, depois de lutar na Guerra de Troia, como relatado poeticamente na Odisseia de Homero. A minha epopeia se iniciou no dia 5 de outubro de 2015. Isso tudo começou porque eu fazia aulas de conversação de russo com minha professora, que na verdade é nascida em Vilnius, capital da Lituânia. Após ter feito 36 aulas de conversação de russo com ela, percebi que estava diante de uma oportunidade sem igual, que seria, poder aprender lituano com uma nativa.

Muita gente me pergunta ou poderia me perguntar, mas por que lituano? Eu venho estudando línguas estrangeiras há alguns anos e decidi me focar no aprendizado de línguas indo-europeias. Já estudei e tive contato com idiomas de outras famílias, tais como mandarim, da família sino-tibetana, indonésio, da família australásica, maia yucateco, da família maia e hebraico, da família semítica. Mas após uma escolha pessoal, decidi me focar integralmente em línguas indo-europeias, para que eu venha a aprender pelo menos 10 idiomas dessa família. Já sabia que o lituano era uma língua citada por vários autores como sendo a mais antiga língua moderna dessa família, podendo ser comparada ao grego, latim, sânscrito e hitita. Com isso, a minha curiosidade aumentava ainda mais e pensava que um dia, pelo menos daqui uns 10 anos eu pudesse vir a aprendê-la. No momento em que comecei a aprender lituano, eu estava na verdade pensando em voltar a estudar alemão, mas como eu tinha uma professora na minha frente e não sabia se teria uma oportunidade como essa outra vez, decidi trilhar por esse caminho e deixar o alemão de lado, pelo menos naquele momento, pois agora, retornei com os meus estudos de alemão em uma escola.

Como um marinheiro, em meio a águas desconhecidas, comecei a minha tentativa de poder entender algo tão diferente de tudo que havia aprendido até então, na verdade, alguns elementos desse idioma se assemelham ao russo, mas mesmo assim, eu me encontrava em um território totalmente estranho. 

Eu me sentia só em uma jangada, me movendo por águas calmas e enfrentando tempestades marinhas que quase me venceram. Em alguns momentos, eu podia avistar terra e pensar que estava perto de casa, mas não passava de alucinações causadas por falta de água doce ou por estar exposto por dias e mais dias ao calor intenso do sol. Dias se passaram e eu cheguei em terra firme, mas assim como Ulisses, enfrentei gigantes e monstros assustadores. O único jeito era retornar ao mar e tentar seguir viagem.

Meses e mais meses foram passando e conheci muitas ilhas e seres fabulosos. Passei a entender coisas que nunca tinha visto e a saborear o gosto de alimentos exóticos. Os perfumes que respirei, possuíam aromas que iam do ocidente, passando pela Pérsia e chegando até a Índia. Repetidas vezes eu fiquei inebriado por ingerir uma bebida forte e inigualável. Senti frio, calor, fome, sede, e fui atacado por monstros marinhos e atingido por chuva forte. Em alguns momentos, não sentia os meus braços ou pernas. Minhas forças quase me abandonaram, mas eu sempre pensava na amada Ítaca. Ficar tanto tempo fora de casa era para mim um infortúnio incomparável.

Ondas gigantes me arrastaram de um lado para o outro e parecia que eu havia provocado o rei dos mares em pessoa. Com o tempo, me acostumei à vida no mar e aprendi a pescar e a guardar água da chuva. Quando chegava em uma nova ilha, eu caçava e colhia frutos. Hoje eu sinto que a cada dia que passa, que eu estou mais perto de casa e que o mar não mais me assusta. Eu sonho com o lar e sonho que o mar também se tornou meu. O meu retorno a amada Ítaca ainda não foi possível, mas poder conhecer e mapear esse mar de informações e sentimentos que é a língua lituana, cheia de mistérios e nuances, me deram a prova que o fato de eu querer retornar para casa e ver que na minha frente eu teria que atravessar um mar inteiro, já valeu a pena.

segunda-feira, 27 de março de 2017

LITHUANIAN LANGUAGE

Lithuanian is a language which belongs to the family of Indo-European Languages, Baltic branch, eastern group. Its alphabet consists of 32 letters, being 11 vowels and 21 consonants. It does not use articles, nor indefinites as definites, as well as Russian and Latin. In relation to declensions, in Lithuanian, there are 7 cases, which are: nominative, genitive, dative, accusative, instrumental, locative and vocative. It is worth remembering that in German are 4, in Latin 6, in Classical Greek 5 and in Modern Greek 4, and in Russian 6.

There are 3 simple tenses, which are the past, present and future. And there is also the past frequentative tense which represents an action that happened in the past, as well as the "used to" in English language. It is not possible to describe a continuous action in Lithuanian, as in English, e.g., if you call a Lithuanian, you ask him what are he doing, he replies that he reads a book and not that he is reading a book. In addition to the indicative mood, we have in Lithuanian the conditional and the imperative. The third person singular and plural are always the same.

In Lithuanian, as well as in Russian, there are verbal aspects, but in the first language, they are in all tenses, being that in Russian, it only applies to the past and the future. The aspect is divided in perfective and imperfective. In the perfective, we put a prepositional particle at the beginning of the verb and it modifies the meaning of that verb. In the imperfective, the verb maintains the infinitive. 

The adjectives always come before nouns, as in English, German, Russian and Chinese. In relation to gender, we have the masculine and the feminine.

This was just a brief overview of the Lithuanian language.